Cadastre seu email e receba as postagens do JUVENTUDE CATÓLICA

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Amizade talvez seja isso


Considero-me um dos teus melhores amigos, e até que a recíproca é verdadeira, por tudo o que já fizeste, sorriste e choraste por mim...
Mas não tenho o direito de exigir que confies cegamente em mim
Não tenho o direito de saber tudo a seu respeito
Não tenho tempo de roubar o seu tempo
Não tenho o direito de interferir em teus caminhos
Não tenho o direito de chantagear-te com minha bondade
Não tenho o direito de exigir que chores primeiro em meu ombro ou que corras primeiro em minha direção
Não tenho o direito de reclamar pelas verdades que não disseste e nem pelos segredos que me ocultaste.

Ser teu amigo não me dá o direito algum sobre a tua consciência.
Antes de ser teu amigo, implica apenas e tão somente em querer o teu bem, porque te quero bem. E só.
Chamar-te-ei a atenção para certos perigos, estarei ali quando doer em ti alguma dor intensa, estarei inquieto quando souber que não vais bem, estarei sorrindo de alegria quando souber que estás feliz.
Para mim não quero nada. Nem mesmo o consolo de saber que sou ou não teu melhor amigo, ou que dizes ou não dizes, sentes ou não sentes, que sou a melhor pessoa que já passou em tua vida.

O que espero e desejo?
O que espero e desejo é que nunca canses de minha amizade, que nunca aborreça de saber que alguém se preocupa contigo, que nunca digas: "Lá vem aquele chato de novo".
O que espero e sonho é que, um dia se precisares de um par de ouvidos, procures entre outros, também os meus; se um dia qualquer dor te machucar demais, e se estiver cansado, revoltado, magoado, ou vazio, tenhas a coragem sem medo algum, de me encontrar e dizer que precisas de alguém como eu, que nada quero em troca senão a tua paz interior.

O que realmente quero é que entendas que não te quero para mim, mas apenas e tão somente para ti, não quero exclusividade, mas com ternura fraterna e sincera, e que entendas que se fosse preciso, daria minha vida por ti, e se ainda as circunstâncias o exigissem, sumiria de tua vida para que minha lembrança ou minha presença jamais te atrapalhasse de ser feliz, e realizar tua vocação plenamente.
Não, eu não preciso de ti, mas porque sou teu amigo, eu quero precisar, posso viver sem ti, mas com tua amizade sei que eu cresceria muito mais.

Finalmente quero que saibas a maior das razões pelas quais tenho sido teu amigo de todas as horas: "Sem saberes, tu me elevastes muito alto, para bem perto de Deus, todas as vezes em que tendo tu olhado em meus olhos e eu nos teus, descobri que de mim nada querias senão que eu fosse uma presença amiga nas tuas alegrias e nas tuas lágrimas". E foi no dia que descobri que me queres bem, mas que não te faço falta, nem te agarras em mim como tábua de salvação; foi naquele dia que senti a vitória de ser teu amigo.

Tudo o que quis e quero, é conquistar-te à tua própria tranqüilidade.
De ti só desejo guardar uma lembrança: "Muitas e muitas vezes que vi quando tinhas Deus no coração generoso e empapado de lágrimas de ternura, tu me ensinaste muito mais que pensas"
E por isso que quando não tendo podido falar de Deus contigo, tenho falado de ti a Deus.
E de alguma forma nunca deixei de estar presente.
Mas sabes o que mais me encanta em nossa amizade? - Penso que permaneceste livre apesar do tanto que já me ouviste, sei que jamais me escravizaste. Se tudo não for amizade, então não sou teu amigo. Se tudo isso for amizade, estamos quites.
Cresceste em Deus do teu jeito e eu cresci do meu.

(Padre Zezinho)







Minha homenagem aos grandes amigos de minha vida.
Renato Emanuel

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário

Ele Ressuscitou! Aleluia, pois Ele Vive!

Homenagem da Juventude Católica a João Paulo II, inesquecível!

E você? O que faria? (Ative a legenda em Português na barra do video)